Como medir o sucesso de uma empresa? De que forma podemos saber se um negócio vai bem? Para ajudar você nisso, o Balanced Scorecard (BSC) aparece como uma nova maneira de se pensar o desenvolvimento de uma companhia indo além da questão financeira.

Por muito tempo, acreditou-se que a melhor maneira de mensurar o sucesso dos negócios era medindo o desempenho financeiro de uma empresa.

O BSC contrapõe a visão de que resultados econômicos são os únicos indicadores de sucesso.

Isto significaria que o lucro não é mais a tradução simples e objetiva do êxito de uma empresa ou do quão lembrada e querida ela é pelos clientes.

Ou seja, o BSC surge para mostrar que bons resultados vão muito além do dinheiro. As empresas precisam de estratégias para acompanhar as evoluções do mercado.

O Balanced Scorecard pode ser considerado uma metodologia de gestão que tem o objetivo de monitorar os passos tomados cotidianamente com o intuito de que não se perca de vista o planejamento a longo prazo de uma empresa.

O BSC deseja então, direcionar seu negócio para o sucesso, criando estratégias de acordo com suas perspectivas para que a visão da empresa seja concretizada.

Desta forma, o Balanced Scorecard busca ampliar a visão dos gestores para múltiplas áreas.

As companhias têm sido influenciadas, em especial pelas redes sociais, a focar cada vez mais na experiência do cliente, fornecer serviços de qualidade e investir em inovações.

As preocupações não se restringem mais apenas às vendas. Outros fatores devem ser considerados, como agregar valor à marca, investir em tecnologia, desenvolver competências, fidelizar o cliente e estabelecer uma relacionamento com ele.

Deste modo, o mercado, em constante mudança, requer dos negócios visões mais amplas que integrem a perspectiva financeira às outras estratégias de crescimento.

Considerando isso, Robert Kaplan e David Norton, professores de Harvard e criadores do conceito de Balanced Scorecard, levaram em conta indicadores de desempenho relacionados aos clientes, aos processos internos, ao aprendizado e ao crescimento.

Assim, o Balanced Scorecard leva em conta tanto aspectos tangíveis quanto intangíveis da empresa, compreendendo que todos são fundamentais para a construção estratégica.

O BSC pode ser pensado como um modelo de gestão que auxilia a empresa a mensurar o progresso de suas metas a longo prazo, pensando-as estrategicamente através de objetivos, indicadores e metas definidos.

É imprescindível que o administrador da empresa possa entender os objetivos traçados pela estratégia de acordo com o BSC para que, a partir deles, possa definir as ações a serem tomadas.

As 4 perspectivas do Balanced Scorecard

A construção estratégica do BSC observa quatro áreas diferentes da empresa, ou seja, quatro perspectivas distintas.

São elas:

Econômica

Ter lucro é sempre sinal de que as coisas vão bem, certo? Bom, não é tão simples assim.

A perspectiva financeira se dá, de certa forma, em uma relação de causa e efeito, integrada às demais áreas observadas pelo BSC, uma vez que cada ação realizada terá impacto na receita da empresa.

Sozinho, o aspecto monetário não pode ser o único responsável pelo sucesso da empresa e, por isso, não deve ser o único a receber atenção.

No entanto, aliado aos demais fatores, em especial à relação com o consumidor, os objetivos financeiros podem ser atingidos.

Clientes fiéis se tornam promotores da marca

Cada vez mais torna-se relevante para a empresa encantar o cliente e investir em relações mais duradouras.

É fundamental atrair a atenção do consumidor em meio a tanta oferta de produtos.

Para isso, é necessário não somente trazer o cliente para sua empresa, mas também oferecer um produto ou serviço de qualidade, além de uma experiência que busque fidelizar esse consumidor.

O Net Promoter Score , ou NPS, tem justamente como objetivo mensurar a lealdade dos consumidores às empresas investindo na satisfação do cliente e trazendo benefícios ao seu negócio.

Considerando esses aspectos, investe-se cada vez mais em ações de marketing, em estratégias para agregar valor à marca e também no atendimento ao cliente.

Um cliente satisfeito tem maior tendência a se tornar um defensor da sua marca e recomendá-la, e um insatisfeito, por sua vez, pode se tornar um detrator.

Deve-se, portanto, existir um cuidado especial em relação a cada tipo para que a relação com o cliente esteja em equilíbrio.

Processos internos

Buscar a excelência no desempenho de processos internos é fundamental para o bom funcionamento de uma empresa e, consequentemente, do Balanced Scorecard.

Por este motivo, é importante que a gestão trace estratégias que auxiliem a produtividade e eficiência dos colaboradores , diminuindo as dificuldades dos processos internos.

Metodologias ágeis, por exemplo, auxiliam para que os processos não se percam em etapas de produção longas demais, adaptando-as de forma mais inteligente e eficiente.

Estas metodologias promovem um maior alinhamento na equipe para a rápida resolução de problemas e para consolidar uma produtividade assertiva e com redução de riscos.

Certificar-se de que a equipe está motivada e capacitada a realizar o trabalho, por exemplo, é uma alternativa que parece simples, mas que faz diferença na produtividade.

Aprendizado e crescimento

A perspectiva de aprendizado e crescimento busca qualificar e capacitar os funcionários da empresa, trazendo inovação, novas abordagens e formas de trabalho, garantindo excelência à empresa.

Esta perspectiva se concretiza através de capacitações, cursos, treinamentos, entre outras modalidades que possam desenvolver o crescimento profissional dos colaboradores da empresa.

Profissionais mais capacitados acabam desenvolvendo um trabalho de melhor qualidade, auxiliando a equipe.

Segundo os idealizadores do Balanced Scorecard, abordagens focadas no aprendizado e crescimento providenciam toda a base que permite que objetivos grandiosos sejam atingidos nas demais perspectivas dessa metodologia, evidenciando a importância da qualificação e inovação para toda a empresa.

Norton e Kaplan ainda argumentam que as iniciativas nesta perspectiva não devem se restringir a equipamentos ou pesquisas, mas sim em buscar investir nas pessoas, sistemas e procedimentos, atingindo crescimentos a longo prazo.

Como adotar o Balanced Scorecard?

Agora que você sabe no que se baseia o Balanced Scorecard e quais são suas perspectivas, pode estar se perguntando por onde começar.

Confira, abaixo, alguns passos importantes para ajudar você a dar o pontapé inicial.

1. Faça um diagnóstico da empresa

Para estabelecer o Balanced Scorecard em uma empresa, deve-se sempre começar através de uma auditoria que faça uma an** á **lise de onde estão os pontos fortes e aqueles que precisam ser desenvolvidos no negócio.

É importante estar atento a cada uma das quatro perspectivas do Balanced Scorecard para estimular a percepção que irá nortear o planejamento estratégico.

Por exemplo, se há uma baixa taxa de retorno de clientes ou resultados negativos em pesquisas de satisfação, já se sabe um eixo a ser trabalhado.

Pode-se verificar ainda se há uma questão com procedimentos internos na empresa que atrasam entregas de produtos e afetam a satisfação do cliente.

Todos os aspectos são relevantes para pensar nas metas a serem estabelecidas.

2. Trace metas estratégicas

Para atingir metas de desempenho em cada uma das perspectivas de BSC, deve-se pensar em ações, iniciativas e intervenções a serem tomadas, sempre tendo em mente os efeitos de cada uma nas demais perspectivas.

Defina um objetivo – o que a empresa deseja alcançar – e como este pode ser mensurado ao longo do período em questão, ou seja, qual será o indicador para observar o desempenho da empresa.

A partir dos indicadores, pensam-se as metas , que se traduzem nos níveis de performance esperados que devem ser atingidos em determinado período.

3. Envolva toda a empresa

Todos os colaboradores da empresa devem compreender a estratégia estabelecida para que suas tarefas sejam direcionadas a fim de se atingir as metas estabelecidas.

As estratégias devem ser refletidas nas ações cotidianas individuais.

É de suma importância que o BSC seja traduzido na cultura da empresa para que os colaboradores possam compreender como empregar as ações estabelecidas pela organização.

Uma boa forma de realizar isso é através do compartilhamento da missão e dos valores da empresa.

Eles apontam para o futuro da companhia e ajudam todos a compreender a estabilidade do objetivo de acordo com as adaptações do tempo.

4. Acompanhe ativamente

Como o BSC consiste na observação contínua das metas e dos indicadores , o mais recomendado é que se possa analisar e corrigir eventuais questões ao longo do período estratégico.

É possível que as estratégias estabelecidas não sejam efetivas para levar às metas desejadas e, por isso, pode-se sempre corrigir e atualizar a estratégia buscando melhorá-la.

Esta é a grande vantagem do Balanced Scorecard: por se tratar de um processo contínuo, as estratégias se adaptam de acordo com a necessidade observada pelos gestores da empresa, gerando aprendizado e melhora nos resultados.

É importante reforçar que o Balanced Scorecard deve ser observado continuamente para que seja possível alcançar os melhores resultados. Conheça mais sobre a gestão empresarial e saiba como adotar a melhor estratégia para a sua empresa!